Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arca de Darwin

"Look deep into nature, and then you will understand everything better", Albert Einstein

"Look deep into nature, and then you will understand everything better", Albert Einstein

Arca de Darwin

20
Dez21

Até para o ano, Outono!

Arca de Darwin

Hoje é o último dia (completo) de Outono. O Inverno começa amanhã (mas claramente não recebeu o memorando e chegou um dia adiantado), dia 21 de Dezembro, às 15h59, altura em que ocorre o Solstício de Inverno, ou seja, quando o Sol se encontra mais a sul. Esse será o dia mais curto do ano e, consequentemente, a noite mais longa.

Para já, despedimo-nos do Outono:

outono 1.jpg

 

 

 

 

18
Dez21

Vhils no Barreiro

Arca de Darwin

Desde 2018 o Barreiro é casa daquele que será porventura o maior mural produzido pelo português Vhils (Alexandre Farto). Com 150 metros de comprimento, a obra intitulada «Sobe e Desce» é uma homenagem às gentes ligadas à atividade industrial da região. O mural está junto ao Bairro de Santa Bárbara e foi apresentado no âmbito da nova alameda da requalificada Rua da União. O Barreiro é também o sítio que o artista escolheu para instalar o seu Vhils Studio.

Vhils Barreiro 1.jpg

 

 

 

 

14
Dez21

Mini-cogumelos

Arca de Darwin

A maioria dos chapéus dos cogumelos em baixo são mais pequenos do que a unha do meu dedo mindinho. Para os vermos, não basta caminhar pela natureza com atenção; precisamos mesmo de parar, de ficar mais perto do solo ou dos troncos das árvores. Nas fotos, a verdadeira dimensão deles pode não ser evidente, mas se olharmos mais atentamente encontramos termos de comparação como uma folha de erva ou uma cápsula de funária.

cogumelos 1.jpg

 

 

 

 

09
Dez21

A venenosa amanita-pantera (“Amanita pantherina”)

Arca de Darwin

Já aqui falei das duas espécies do género Amanita envolvidas na morte do imperador Cláudio: a deliciosa A. caesarea, ou amanita-dos-césares, e a letal A. phalloides, ou cicuta-verde. A A. pantherina, ou amanita-pantera, não é tão tóxica quanto a cicuta-verde, mas, ainda assim, é bastante venenosa, apesar do seu sabor adocicado.

Amanita pantherina 1.jpg

 

 

 

 

Pág. 1/2