Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Arca de Darwin

"Look deep into nature, and then you will understand everything better", Albert Einstein

"Look deep into nature, and then you will understand everything better", Albert Einstein

Arca de Darwin

11
Abr12

O novo Zoo

Arca de Darwin

O Jardim Zoológico de Lisboa está muito diferente. A mudança de estratégia começou em meados dos anos 90 do século passado. Por essa altura o Zoo não só iniciou um trabalho de melhoria das instalações e condições de vida dos animais, mas também aderiu ao Programa Europeu de Espécies Ameaçadas (EEP). Hoje todos os indivíduos de espécies ameaçadas que vivem na instituição estão de alguma forma incluídos num projecto de conservação

Objectivo? Evitar a consanguinidade e atingir um número de indivíduos suficiente para funcionar como reserva a que se possa recorrer no caso de a espécie se extinguir na natureza.

Uma dessas espécies é o saguim-imperador (Saguinus imperator). Na árvore da vida, o saguim-imperador (na foto) está no mesmo ramo que o Homem – o dos primatas –, mas seis galhos ao lado. É uma bola de pêlo com 25 centímetros (mais os 35 da cauda), pesa cerca de 500 gramas, e tem bigodes curvos, maiores do que a cara, semelhantes aos do imperador alemão Guilherme II, facto que está na origem do seu nome.

Ao actual ritmo de destruição do seu habitat e de captura para fazerem dele animal de estimação, o saguim-imperador estará brevemente em perigo, como já acontece com o seu primo saguim-bicolor (Saguinus bicolor). A boa notícia é que o pequeno primata adaptou-se muito bem ao clima luso e, desde a sua chegada em 2005, reproduz-se  quase todos os anos.

Como vive em grupos que geralmente não ultrapassam oito indivíduos, a maioria das crias terá de abandonar o zoo. Mas antes terão de assistir ao nascimento de outra ninhada, para aprenderem cuidados parentais. Isto é muito importante para as fêmeas, e também para os machos, já que ambos terão de carregar os filhotes. Porquê? “As crias nascem com cerca de 60 gramas, o que é muito peso para transportar por um só progenitor. É como se os nossos bebés nascessem com 12 kg”, explicou-me José Dias, curador do Zoo.

Apesar do nome, os EEP também contemplam espécies que não estão seriamente ameaçadas. É o caso do golfinho-comum (Tursiops truncatus), também conhecido por roaz-corvineiro, com estatuto de conservação Pouco Preocupante, e que tem papel fundamental no zoo como embaixador dos oceanos.

Entre outras iniciativas, o zoo já cedeu animais para reintroduções na natureza.