Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arca de Darwin

"Look deep into nature, and then you will understand everything better", Albert Einstein

"Look deep into nature, and then you will understand everything better", Albert Einstein

Arca de Darwin

30
Ago12

O famoso

Arca de Darwin
O fim do Verão está à porta e, com ele, termina também a época de reprodução do pintarrôxo-comum (Carduelis cannabina). Esta é boa altura para observar este pássaro, pois reúne-se em bandos numerosos, por vezes na companhia de verdilhões-comuns.

 

Mede 13 centímetros de comprimento e, tal como acontece com muitos outros membros desta ordem (passeriformes), apresenta dimorfismo sexual. Assim, apenas os machos têm babete e testa vermelhos. O corpo das fêmeas e juvenis é castanho. O grosso bico indica que tem uma dieta composta por sementes. Vive em zonas com arbustos misturadas com terrenos abertos.No Reino Unido, entre o final do século XIX e o princípio do século XX, era comum criarem-se pintarrôxos (linnet, em inglês) como animais de estimação. Esta existência engaiolada inspirou o poeta Alfred Tennyson (1809 – 1892), que aludiu à espécie no poema In Memoriam A. H. H., na mesma parte (a XXVII) em que figura uma das mais conhecidas passagens de toda a literatura. Ora veja: ”I envy not in any moodsThe captive void of noble rage,The linnet born within the cage,That never knew the summer woods:I envy not the beast that takesHis license in the field of time,Unfetter'd by the sense of crime,To whom a conscience never wakes;Nor, what may count itself as blest,The heart that never plighted trothBut stagnates in the weeds of sloth;Nor any want-begotten rest.I hold it true, whate'er befall;I feel it, when I sorrow most;'Tis better to have loved and lostThan never to have loved at all.”