Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arca de Darwin

"Look deep into nature, and then you will understand everything better", Albert Einstein

"Look deep into nature, and then you will understand everything better", Albert Einstein

Arca de Darwin

31
Out21

Escaravelho cárabo-picotado (“Carabus rugosus”)

Arca de Darwin

Os élitros castanhos-acobreados do Carabus rugosos parecem ter sido minuciosamente martelados por um caldeireiro, e provavelmente é daí que vem o nome comum: cárabo-picotado.

Carabus rugosus 1.jpg

Carabus rugosus 2.jpg

O comprimento deste coleóptero varia entre uns impressionantes 27 e 31 milímetros.

Carabus rugosus 3.jpg

Carabus rugosus 4.jpg

A espécie está ativa durante todo o ano, mas é mais abundante na Primavera e no Inverno. Este exemplar foi fotografado há uns dias atrás enquanto chovia. A chuva parece ter despertado também muitos caracóis que, curiosamente, são uma das presas preferidas deste escaravelho. O processo de predação não é lá muito simpático. “(...) Fazem uma digestão externa pré-oral, colocando enzimas na presa e depois com o auxílio das sedas das suas mandibulas, ingerem os fluidos daí resultantes”, lê-se aqui.

Carabus rugosus 5.jpg

Carabus rugosus 6.jpg

 

29
Jun20

O ameaçado Longicórnio ("Cerambyx cerdo")

Arca de Darwin

O escaravelho longicórnio (Cerambyx cerdo), também conhecido por capricórnio-das-quercínias, rosca e larva-da-madeira, é um dos maiores coleópteros da nossa fauna: o adulto mede entre 17 e 56 milímetros de comprimento e a lagarta chega a atingir entre 70 e 90 milímetros.

cerambyx cerdo 1.jpg

O exemplar que aparece neste post é uma fêmea, pois o último segmento das antenas é do mesmo tamanho que o segmento anterior (e o comprimento da antena é aproximadamente igual ao do corpo). Nos machos as antenas são muito maiores, e o último segmento é muito maior que o penúltimo.

cerambyx cerdo 2.jpg

Outra característica desta espécie é a coloração castanho-avermelhado da parte distal dos élitros.

cerambyx cerdo 3.jpg

Os adultos alimentam-se da seiva de feridas recentes e de frutos. Por isso, a espécie prefere áreas agroflorestais e gosta particularmente de carvalhos velhos, mas também de nogueiras, castanheiros, salgueiros, plátanos e freixos.

O desenvolvimento dura três anos. Entre Junho e Setembro, os ovos são depositados em feridas ou fendas de troncos ou ramos de árvores. As larvas passam então por cinco estádios larvares durante 31 meses, ao longo dos quais vão-se alimentando da madeira e escavando galerias — o que pode levar à morta da árvore, mas em geral alimentam-se de árvores já mortas ou velhas e doentes.

cerambyx cerdo 4.jpg

Existe no Norte de África, Europa e Ásia Menor. A nível global é uma espécie ameaçada devido à perda de habitat, e tem estatuto de Vulnerável (VU). Na Europa tem estatuto de Quase Ameaçado (NT — Near Threatened), mas é comum na região mediterrânica e por cá tem estatuto de Menos Preocupante (LC — Least Concern).

cerambyx cerdo 5.jpg

É uma espécie com hábitos crepusculares e nocturnos, mas na nossa latitude também pode ser observada durante o dia.

Pertence à família Cerambycidae.

cerambyx cerdo 6.jpg