Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arca de Darwin

"Look deep into nature, and then you will understand everything better", Albert Einstein

"Look deep into nature, and then you will understand everything better", Albert Einstein

Arca de Darwin

14
Jun20

Juvenil de pisco-de-peito-ruivo

Arca de Darwin

As crias das aves podem ser muito diferentes dos pais (como se vê aqui, aqui e aqui, por exemplo). Para as identificar, dá sempre jeito ter um dos progenitores ao lado. As fotos que se seguem são de uma cria de pisco-de-peito-ruivo (Erithacus rubecula), que tinha a mãe, ou o pai (ambos os sexos tomam conta das crias), por perto (surge na última foto, tirada de dentro do carro — assim que baixei o vidro, fugiu; ao invés, a curiosidade e a ingenuidade da cria sobrepuseram-se ao medo). Para já, a cria é malhada.  Dois ou três meses depois de sair do ninho começarão a nascer no peito as primeiras penas ruivas.

pisco 1.jpg

pisco 2.jpg

pisco 3.jpg

pisco 4.jpg

pisco 5.jpg

 

23
Ago14

Cisne-negro: pais e crias

Arca de Darwin

Aqui no Hemisfério Sul falta um mês para a Primavera, mas no lago Monger (Perth, Austrália) a Natureza não quer saber do calendário. A verdade é que são já muitos os sinais de que ela já chegou, como as crias de cisne-negro (Cygnus atratus) que fazem as delícias de miúdos e graúdos que visitam o parque.

Em baixo encontra uma galeria e um vídeo com estas majestosas (e queriduchas) aves.

black swan 1

http://youtu.be/tn-RYNBokcM

 

31
Jul13

Afinal, quantos ovos põe o ganso-do-Egipto?

Arca de Darwin
Primeiro encontrei um casal de gansos-do-Egipto (Alopochen aegyptiacus) no jardim da Gulbenkian. Depois descobri outro no Parque das Conchas. Este último reproduziu-se e diligentemente cuidou da sua única cria. Pensei que a espécie poria 1 a 3 ovos, visto haver apenas um filhote. 

Gansos-do-Egipto (Alopochen aegyptiacus), Jardim Gulbenkian, Lisboa

Entretanto, passei pela Gulbenkian e fiquei surpreso com o número de crias de gansos-do-Egipto.

 O livro Aves de Portugal (Lynx, 2011) não faz qualquer referência à espécie e o Guia de Aves de Portugal e da Europa (FAPAS, 1993) refere-a, mas não indica o tamanho da postura. Aqui informam de que a fêmea põe 7 a 8 ovos, o que explica as 6 crias que nadavam juntas no lago da Gulbenkian.