Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arca de Darwin

"Look deep into nature, and then you will understand everything better", Albert Einstein

"Look deep into nature, and then you will understand everything better", Albert Einstein

Arca de Darwin

15
Out23

Festival Iminente 2023

Arca de Darwin

O Festival Iminente começou ontem e acaba hoje, 15 de outubro, à meia-noite (a boa notícia é que a chuva deverá parar a meio da tarde).  Este ano, este festival de música e arte, com muita comida à mistura, mudou-se para o Terreiro do Paço, em Lisboa (pode consultar a programação aqui). O Iminente é gratuito.

festival iminente 1.jpg

 

 

24
Set23

«Fome» — memorial em Dublin

Arca de Darwin

É impossível ficar indiferente a este conjunto de sete estátuas de bronze (seis figuras humanas e um cão). Elas causam uma impressão profunda. Assombram-nos. O sofrimento e o desespero que transmitem abrem uma janela para o período mais dramático da história irlandesa, 1845–1849, que ficou conhecido como a Grande Fome.

famine 9.jpg

 

 

21
Set23

Memorial de Oscar Wilde (Dublin)

Arca de Darwin

O memorial do escritor Oscar Wilde (1854–1900) no Merrion Square Park, em Dublin, na Irlanda, destila irreverência e originalidade — na pose, nas cores, nos materiais —, refletindo bem o espírito do homem que disse de si mesmo: «Eu sou daqueles que são feitos para ser a exceção, não para seguir a lei».

estatua de oscar wilde 1.jpg

 

 

18
Fev22

O “Chimpanzé” e o “Sapo” de Bordalo II

Arca de Darwin

As duas esculturas — o Chimpanzé e o Sapo — encontram-se a algumas dezenas de metros uma da outra. Já têm uns bons aninhos, mas eu ainda não as tinha visto. Foram criadas por Bordalo II para a exposição “Attero” (“desperdício” em latim) de 2017 no seu atelier na Rua de Xabregas, no Beato, em Lisboa. De então para cá, já nos habituámos a ver as peças de Bordalo II um pouco por todo o país, ao vivo ou através de imagens. O Sapo foi a primeira escultura da série “Plastic Trash Animals” destinada a ser admirada na rua.

bordalo II 1.jpg

 

 

 

09
Mar20

"Menina calçando a meia"

Arca de Darwin

O escultor Leopoldo de Almeida (1898‒1975) tem várias obras bastante conhecidas em Lisboa, entre as quais se destacam as enormes figuras que adornam os lados do Padrão dos Descobrimentos, a estátua equestre de D. João I, na Praça da Figueira, e o monumento a Calouste Gulbenkian. A sua "Menina Calçando a Meia", obra de 1966 que é peça central da Estufa Fria de Lisboa, é igualmente merecedora de admiração. Dizem que a Menina é feita de mármore, mas é difícil acreditar que aquelas mãos que puxam a meia não sejam de carne e osso.

menina_calcando_meia 1.jpg

menina_calcando_meia 2.jpg

menina_calcando_meia 3.jpg

menina_calcando_meia 4.jpg

menina_calcando_meia 5.jpg

menina_calcando_meia 6.jpg

menina_calcando_meia 7.jpg

menina_calcando_meia 8.jpg

menina_calcando_meia 9.jpg

menina_calcando_meia 10.jpg

menina_calcando_meia a 11.jpg

26
Mar15

Palácio de Queluz: seres de pedra, lendas e jardins

Arca de Darwin

Vale bem a pena (re)visitar o Palácio de Queluz, Sintra, embora esta talvez não seja a melhor altura para o fazer, já que os tapumes das obras escondem o edifício principal. Ainda assim, há muito para ver, tanto no interior como nos vastos jardins geométricos que abundam no exterior.palacio de queluz 1

INTERIORES

A construção do Palácio começou no século XVIII. No interior, mal se notam as marcas do incêndio de 1934. O Pavilhão de Dona Maria - onde a monarca, afectada por uma doença mental, viveu isolada os últimos anos da sua vida -, é hoje um quarto de luxo reservado a chefes de Estado estrangeiros.palacio de queluz 2 palacio de queluz 3 palacio de queluz 4 palacio de queluz 5 palacio de queluz 6 palacio de queluz 7 palacio de queluz 8 palacio de queluz 9 palacio de queluz a 10 LENDAS E MITOS

A mitologia grega inspirou os artistas que esculpiram na pedra episódios e lendas da antiguidade.

Caim e Abel

palacio de queluz a 11

 

Meleagro e Atalanta

palacio de queluz a 12 

Vénus e Adónis

palacio de queluz a 13 

Rapto de Prosérpina

palacio de queluz a 14 

Verão

palacio de queluz a 15 

Baco e Ariadne

palacio de queluz a 16 

Vertumno e Pomona

palacio de queluz a 17 CANAL DOS AZULEJOS

Quando o vi, imaginei que de comportas fechadas daria uma bela piscina. Afinal, as comportas deste canal com 129 metros fechavam, de facto, mas o objectivo era contemplar os azulejos em tranquilos passeios de barco.palacio de queluz a 18 palacio de queluz a 19 palacio de queluz b 20 palacio de queluz b 21 palacio de queluz b 22 JARDINSpalacio de queluz b 23 palacio de queluz b 24 palacio de queluz b 25 palacio de queluz b 26 palacio de queluz b 27 palacio de queluz b 28 palacio de queluz b 29 palacio de queluz c 28 b palacio de queluz c 28 c palacio de queluz c 30 palacio de queluz c 31 EDIFÍCIOS E GEOMETRIApalacio de queluz c 32 palacio de queluz c 33 palacio de queluz c 34 palacio de queluz c 35 palacio de queluz c 36 palacio de queluz c 37 EXPRESSÕESpalacio de queluz c 38 palacio de queluz c 39 palacio de queluz d 40 palacio de queluz d 41 palacio de queluz d 42 palacio de queluz d 43 palacio de queluz d 44 palacio de queluz d 45 palacio de queluz d 46 palacio de queluz d 47 OUTRAS ESTÁTUAS E PORMENORESpalacio de queluz e 1 palacio de queluz e 2 palacio de queluz e 3 palacio de queluz e 4 palacio de queluz e 5 palacio de queluz e 6 palacio de queluz e 7 palacio de queluz e 8 palacio de queluz f 1 palacio de queluz f 2 palacio de queluz f 3 palacio de queluz f 4 palacio de queluz f 5 palacio de queluz f 6 palacio de queluz f 7