Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arca de Darwin

"Look deep into nature, and then you will understand everything better", Albert Einstein

"Look deep into nature, and then you will understand everything better", Albert Einstein

Arca de Darwin

24
Out23

As mutações dos gamos do Phoenix Park

Arca de Darwin

O Phoenix Park é um parque murado a oeste do centro de Dublin. O parque é enorme: cobre uma área de cerca de 700 hectares — é, ainda assim, mais pequeno do que, por exemplo, o Parque Florestal de Monsanto, que tem 1000 hectares —, e não será má ideia alugar uma bicicleta à entrada para o percorrer mais facilmente.

dama dama 1.jpg

 

 

13
Mar19

Veados e Gamos na Tapada de Mafra

Arca de Darwin

Na Tapada de Mafra é bastante fácil observar veados (Cervus elaphus) e gamos (Dama dama), mas, claro, convém percorrer os caminhos em silêncio). Por esta altura os indivíduos de ambas as espécies ainda apresentam a pelagem castanha-escura típica do Inverno. Para distingui-las, além do tamanho (os veados são maiores), podemos olhar para as hastes dos machos: as dos veados são pontiagudas; as dos gamos são espalmadas. Na Tapada há cerca de 50 veados e mais de 300 gamos. Não há corços (Capreolus capreolus).

28
Nov14

"Senhores do Bosque" - novo livro de Paulo Caetano e Joaquim Pedro Ferreira

Arca de Darwin

É um prazer divulgar mais um livro da dupla Paulo Caetano / Joaquim Pedro Ferreira sobre o património natural português. Tal como os anteriores, vale bem a pena ler este Senhores do Bosque - Ungulados Silvestres em Portugal (Editorial Bizâncio).CAPA - Senhores do Bosque

O livro revela-nos a biologia, comportamento e história dos maiores seres que deambulam nos nossos bosques e florestas, ou seja, cabras monteses, muflões, veados, corços, gamos e javalis.senhores do bosque - cabra montescabra montes 2

Imagens: Joaquim Pedro Ferreira

O "ungulados" do subtítulo refere-se à característica morfológica que os une - uma unha fendida que forma dois dedos -, mas há outro "fado" que os liga: são presas.lobo

Imagem: Joaquim Pedro Ferreira

Presas para os animais selvagens, como o lobo, e, principalmente, para os humanos. E assim tem sido desde tempos imemoriais, como atestam as gravuras de Foz Côa, um dos assuntos abordados em Senhores do Bosque.veado 2

Imagem: Joaquim Pedro Ferreira

As relações entre humanos e ungulados não se restringem a predador-presa. Por exemplo, o livro também fala daqueles que estudam estas espécies e da relação conflituosa destas com as comunidades rurais.javaliu

Imagem: Joaquim Pedro Ferreira

A composição da fauna de ungulados portuguesa variou ao longo do tempo. "Algumas espécies não resistiram e desapareceram, fruto das mudanças climáticas, da destruição dos habitats e da perseguição humana. Foi o caso da camurça, do gamo e da cabra montês. Os gamos regressaram aos seus territórios ancestrais, pela mão dos romanos e de vários monarcas, tornando-se animais de parque, enquanto as cabras monteses acabaram colonizando, recentemente e por acidente, as grandes serranias do nosso único Parque Nacional", lê-se no press release de Senhores do Bosque.Corco 20 (1024x685)

Imagem: Joaquim Pedro Ferreira

No interior da obra, as imagens de Joaquim Pedro e as palavras de Paulo Caetano transportam-nos para o bosque, deixando-nos num lugar privilegiado a assistir aos eventos mais dramáticos da vida destas criaturas:"Antes de iniciarem as lutas, como em preparação para a dureza dos tempos que se aproximam, os animais roçam as hastes nos troncos das árvores para fazerem saltar o veludo que cobre as armações. Sempre com movimentos lentos e vigorosos, num prelúdio dos duelos que se avizinham.veado 3 veado

Imagens: Joaquim Pedro Ferreira

Durante esse período, agitados e em estado de tensão permanente, os machos dominantes não perdem de vista o seu grupo de fêmeas, exercendo uma vigilância apertada. De tal forma que, durante as várias semanas de brama, raramente têm oportunidade de se alimentarem. A abstinência forçada, o desgaste provocado pelos sucessivos duelos e a necessidade instintiva de cobrir as cervas receptivas acaba por reduzir drasticamente o seu peso e o seu vigor."gamos

Imagem: Joaquim Pedro Ferreira

De facto, a não perder!

10
Jul12

Dama dama

Arca de Darwin
As hastes espalmadas e a pelagem pintalgada distinguem o gamo (Dama dama) das duas outras espécies de cervídeos existentes em Portugal: o veado (Cervus elaphus) e o corço (Capreolus capreolus).As hastes, ausentes nas fêmeas, caem todos os anos após a época de reprodução e podem alcançar 70 centímetros nos indivíduos mais velhos. Enquanto crescem as hastes estão cobertas por uma epiderme aveludada e são muito irrigadas por vasos sanguíneos. Quando o crescimento anual termina o veludo cai e revela a estrutura óssea.

O gamo é mais pequeno do que o veado e maior do que o corço. Os machos pesam entre 52 kg e 63 kg e as fêmeas entre 28 kg e 41 kg.

Forma três tipos de grupos sociais: machos; fêmeas com crias; e grupos mistos.

A espécie é originária da Ásia Central. Em Portugal encontra-se em vários parques, como a Tapada de Mafra. Os indivíduos que existem em liberdade fugiram de cercados onde se criava a espécie para fins cinegéticos.