Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arca de Darwin

"Look deep into nature, and then you will understand everything better", Albert Einstein

"Look deep into nature, and then you will understand everything better", Albert Einstein

Arca de Darwin

29
Jan15

Pinnacles Desert - um lugar único

Arca de Darwin

É uma das jóias da coroa do património natural da Austrália Ocidental. E é um lugar estranho, com características que ainda intrigam os cientistas que o estudam. Chama-se Pinnacles Desert (Deserto de Pináculos) e fica a cerca de 200 km a Norte de Perth, no Parque Nacional de Nambung, perto da vila de Cervantes.

pinnacles desert 1

 Todos os anos cerca de 250.000 pessoas visitam as invulgares formações geológicas do parque.

pinnacles desert 2 pinnacles desert 3 pinnacles desert 4

Como é que os pináculos se formaram? A questão ainda está em aberto. Certo é que são compostos de calcário, proveniente dos pedaços de conchas depositados na linha da costa. Reduzidos a finos grãos de areia pela acção de agentes naturais, estas "conchas" e outros materiais provenientes dos rios foram então levados pelo vento para locais mais afastados da costa, formando dunas em locais mais ou menos inesperados.

pinnacles desert 5 pinnacles desert 6

De facto, durante a viagem de Perth para Cervantes, à medida que nos aproximamos do Parque Nacional de Nambung observamos enormes dunas de ambos os lados da estrada que corre paralela à linha de costa.

Há cerca de 500.000 anos (encontrei estimativas com valores mais baixos, mas este é o que figura no centro interpretativo do Pinnacles Desert) as areias viajaram da praia até ao interior onde formaram dunas. A água da chuva dissolveu o carbonato de cálcio proveniente das conchas, arrastando-o até à base das dunas. Depois de secar, recristalizou, formando calcário.

pinnacles desert 7 pinnacles desert 8 pinnacles desert 9

Entretanto uma camada de solo formou-se sobre as dunas, permitindo a existência de plantas. Aos poucos as raízes perfuraram o solo, depois a fina camada de duna, e finalmente alcançaram a espessa camada do macio calcário.

pinnacles desert a 10 pinnacles desert a 11 pinnacles desert a 13

Há várias hipóteses sobre o que aconteceu a seguir, mas os pináculos resultarão da acumulação de materiais em torno dos canais criados pelas raízes.

pinnacles desert a 17

pinnacles desert a 14 pinnacles desert a 15 pinnacles desert a 16

Finalmente, a chuva e o vento intervieram novamente, arrastando solo e dunas, de maneira a expor os pináculos. O "tapa, destapa" terá ocorrido várias vezes ao longo dos milénios. A última terá sido há 6.000 anos.

pinnacles desert a 18 pinnacles desert a 19 pinnacles desert b 20 pinnacles desert b 21 pinnacles desert b 22

Quaisquer que sejam os detalhes do processo geofísico, é fantástico olhar para os pináculos - alguns com mais de 4 metros de altura -, e saber que se formaram há milhares de anos por terem uma planta a crescer sobre eles.

pinnacles desert b 23

16
Abr13

Pedra do Sal

Arca de Darwin
Ao longo da costa encontram-se vários tapetes de pedra, estendidos pela força do mar, do vento e da chuva, e denominados Lapiás Costeiros. Uma dessas estruturas geológicas é a velhinha Pedra do Sal, com idade entre os 90 mil e os 120 mil anos, em S. Pedro do Estoril.

Pedra do Sal, S. Pedro do Estoril

Situada em frente ao edifício com o seu nome – Centro de Interpretação Ambiental da Pedra do Sal – uma placa explica a origem do baptismo:

Centro de Interpretação Ambiental da Pedra do Sal

“Devido às características físicas desta estrutura, horizontal e fendida, durante a maré-cheia o mar cobria toda a pedra e parte da água ficava retida nestas fendas. Na baixa-mar, e após a evaporação da água, apenas ficava depositado um resíduo – o sal. Este era de particular importância para os pescadores que aqui se deslocavam para recolher esse mineral, a fim de ser usado para a conserva do pescado que sempre abundou neste troço de costa.

Este hábito perdurou durante muito tempo e o nome foi ficando, constituindo, deste modo, parte integrante da história e cultura de S. Pedro do Estoril”.

24
Mar13

Serra do Risco – uma falésia com 381 metros

Arca de Darwin
Inserida na cordilheira da Arrábida, em Setúbal, a Serra do Risco possui a mais alta falésia marítima de Portugal Continental. Tanto quanto sei, a origem do nome não é clara: ou deve-se à linha (quase) direita que desenha no horizonte, ou ao “risco” a que o rei D. Afonso Henriques se sujeitou quando dividiu as suas tropas durante uma batalha.

30
Jan13

As ondas gigantes da Nazaré

Arca de Darwin
O Canhão da Nazaré é uma espécie de Grand Canyon, mas está debaixo de água, é de origem tectónica (o desfiladeiro norte-americano resulta da acção do rio Colorado) e mede “apenas” 211 km de comprimento (contra 446 km do Grand Canyon). E, ainda que indirectamente, está nas bocas do mundo, pois terá proporcionado mais um record do mundo ao havaiano Garrett McNamara: o de surfar uma onda de 30 metros.As ondas cavalgadas ontem por vários surfistas – entre os quais contava-se o português António Silva – atingem tamanha proporção por viajarem com maior velocidade ao longo do canhão e chegarem à costa sem significativa perda de energia.

Canhão da Nazaré. Foto: NASA

O Canhão também é responsável pela ascensão de nutrientes e plâncton às camadas superficiais do oceano, o que contribui para a abundância de peixes naquela região. Como não há bela sem se senão, os parcos areais a sul da Nazaré também resultam da dinâmica deste vale submarino.
21
Mai12

“ANTROPOCENO” e RIO +20 (parte I de II)

Arca de Darwin

“Movemos anualmente mais rochas e sedimentos do que todos os fenómenos naturais, como os rios e a erosão”, ouve-se no vídeo “Bem-vindo ao Antropoceno” (em baixo), que retrata em apenas 3 minutos a nossa história ao longo dos últimos 250 anos. O vídeo foi apresentado na conferência Planet Under Pressure 2012, realizada em Março, em Londres. Paul Crutzen, Nobel da Química que cunhou o termo Antropoceno em 2002, defende que a Terra entrou numa nova era geológica devido às profundas alterações provocadas pelos humanos. Jan Zalasiewicz e Mark Williams, da Universidade de Leicester, no Reino Unido, são uns dos maiores apologistas desta ideia, defendendo-a regularmente em revistas da especialidade. Para já, continuamos no Holoceno, época do período Quaternário que começou há 11,5 mil anos.

http://www.youtube.com/watch?v=fvgG-pxlobk

A Planet Under Pressure foi uma espécie de aquecimento para a Conferência das Partes das Nações Unidas (COP) Rio +20, que se realizará em Junho no Rio de Janeiro, 20 anos depois daquela que ficou conhecida como a Cimeira da Terra.

O que esperar da Rio +20? Uma sondagem realizada em Abril pela The Regeneration Project revela que apenas 13% dos especialistas em sustentabilidade acreditam que a Cimeira terá sucesso. As COP têm habitualmente de lidar com a má vontade dos Estados Unidos e da China, mas este ano até a Europa parece indisponível para conservar o planeta: o Parlamento Europeu estará ausente, devido ao preço das estadias, e a Comissão Europeia enviará apenas seis membros, que terão de “ter cuidado com os gastos”. O aviso, feito no início de Maio, surgiu dois meses depois de Bráulio Dias, novo presidente da COP, relembrar que salvar a biodiversidade custará 300 mil milhões de dólares por ano, durante os próximos 8 anos. O valor é 10 vezes superior ao investimento actual e inclui a gestão sustentável da agricultura, florestas, e ecossistemas marinhos e de água doce. O custo de fazer nada ascenderia a um valor entre 2 triliões de dólares e 4,5 triliões de dólares. (CONTINUA)

Mais sobre mim

foto do autor

Siga-nos no Facebook

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2017
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2016
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2015
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2014
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2013
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2012
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D