Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arca de Darwin

"Look deep into nature, and then you will understand everything better", Albert Einstein

"Look deep into nature, and then you will understand everything better", Albert Einstein

Arca de Darwin

27
Jun14

Surpresa ao anoitecer - golfinhos no rio Swan

Arca de Darwin

Naquele final de dia o rio Swan era um imenso espelho que reflectia os tons rosas de um "vanilla sky". Estava junto à margem, entretido a fotografar gaivotas, quando ouvi o barulho de um mergulho. Ao olhar na direcção do som apenas vi um vulto dissolver-se água adentro.

Tursiops aduncus 1

Sabia que existiam golfinhos no rio Swan, em Perth, mas ainda só os vira no mar. Momentos depois, algumas dezenas de metros mais ao lado, a elegante figura de dois golfinhos rompeu o manto rosa para logo desaparecer.

Tursiops aduncus 2

Pertencem à espécie Tursiops aduncus (mesmo género dos roazes do Sado, aliás, até há pouco eram consideradas a mesma espécie), pesam cerca de 155 quilos e medem 2,4 metros de comprimento.

Tursiops aduncus 3

Nos rios e estuários os grupos raramente ultrapassam dez animais, mas no mar chegam a reunir centenas de indivíduos.

Tursiops aduncus 4

Os biólogos que monitorizam a população do rio Swan estimam que contenha entre 20 e 25 indivíduos.

Tursiops aduncus 5

Pouco se sabe sobre esta população. Os estudos mais intensivos começaram em 2009, em resposta à morte de seis animais nesse mesmo ano.

Tursiops aduncus 6

Doenças, poluição, falta de alimento e ferimentos causados por linhas de pesca abandonadas foram algumas das causas das mortes. Estes factores permanecem ameaças à espécie.

Tursiops aduncus 7

30
Abr12

Os pilares da ponte

Arca de Darwin

Já viram a nova decoração das sapatas da Ponte 25 de Abril, em Lisboa? A Estradas de Portugal inspirou-se nos recentes avistamentos de golfinhos no Tejo e incluiu pinturas de golfinhos, alfaiates, orcas, flamingos e maçaricos nos trabalhos de revestimento de proteção das sapatas (fotos em baixo).

A razão pela qual os golfinhos estão a entrar mais vezes no Tejo não é clara:

- “A poluição do Tejo tem melhorado muito, o que se constata pela observação de espécies sensíveis, como caranguejos, bivalves e alguns peixes. O estuário do rio poderá voltar a ter colónias de golfinhos nos próximos 30 anos", disse Maria José Costa, do Instituto de Oceanografia, ao Diário de Notícias.

- “Com a construção de ETAR, como a de Alcântara, e a deslocação de indústrias pesadas na Margem Sul, a qualidade da água tem vindo a melhorar”, justificou  Nuno Sequeira, da Quercus, ao Expresso.

“É prematuro dizer que os golfinhos estão a regressar e que a sua presença se deve à melhoria da qualidade da água do estuário. Os golfinhos não são uma espécie indicadora da qualidade da água, já que acumulam a poluição na gordura corporal”, informou Miguel Couchinho, do Projecto Delfim, ao Público.

Seja qual for a razão, a redução da poluição do rio e o regresso de espécies sensíveis são boas notícias. E as pinturas são engraçadas!