Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arca de Darwin

"Look deep into nature, and then you will understand everything better", Albert Einstein

"Look deep into nature, and then you will understand everything better", Albert Einstein

Arca de Darwin

07
Jun20

Percevejo-ponto-e-riscas ("Graphosoma semipunctatum")

Arca de Darwin

As listas pretas do percevejo-ponto-e-riscas (Graphosoma semipunctatum) são interrompidas quando chegam ao prototórax e dão lugar a pontos pretos — ao contrário do que acontece com o percevejo-listado (Graphosoma lineatum), cujas listas não são interrompidas.

graphosoma semipunctatum 1.jpg

Tal como o seu primo listrado, o G. semipunctatum tem dois sistemas principais de defesa: o padrão de cor, que avisa os predadores de que ele é perigoso, e o sabor desagradável.

graphosoma semipunctatum 2.jpg

Este membro da ordem Heteroptera mede entre 11 e 12 milímetros. Pode ser observado entre Maio e Agosto em prados e matos floridos.

graphosoma semipunctatum 3.jpg

 

Percevejo-listado

graphosoma lineatum-1 (1024x683).jpg

 

11
Set14

Cruzado fedorento ("Mictis profana")

Arca de Darwin

O nome, Percevejo-cruzado (Cruzader bug), deve-o ao distintivo "X" que ostenta no dorso e que alguém achou parecido com a cruz das vestes usadas na "guerra santa" dos séculos XI a XIII. As "lutas" deste percejo são incomparavelmente mais benignas e resultam da sua alimentação: por um lado, causa prejuízos em hortas e pomares de citrinos; por outro, ajuda a controlar uma planta invasora sul-africana (Mimosa pigra). A principal estratégia de defesa é o repelente odor que emana de uma abertura junto ao segundo par de patas. Mede 25 milímetros.

crusader bug

29
Ago13

O extravagante percevejo-listrado

Arca de Darwin

Vermelho, com riscas pretas em cima e manchas pretas em baixo, este percevejo (Graphosoma lineatum) não passa despercebido. As cores vivas são um alerta para potenciais predadores, como as aves. A mensagem é simples: “Tenho um sabor horrível”.

Percevejo-listrado (Graphosoma lineatum), Odivelas, Agosto de 2013

É comum no sul da Europa. Por cá encontra-se facilmente nos baldios das cidades (como se vê nestas fotos tiradas ontem e hoje em Odivelas). 

Alimenta-se nas inflorescências de plantas como o endro (que é usado como erva aromática para temperar peixe e pertence à família Umbelífera).

Este insecto pertence à ordem Heteroptera, que apresenta asas córneas na base e membranosas nas pontas (daí chamaram-se hemiélitros).

Mede cerca de 10 milímetros.