Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arca de Darwin

"Look deep into nature, and then you will understand everything better", Albert Einstein

"Look deep into nature, and then you will understand everything better", Albert Einstein

Arca de Darwin

08
Mai21

"Epipactis tremolsii" — a orquídea alcoólica

Arca de Darwin

A orquídea heleborinha-comum (Epipactis tremolsii) mede entre 30 e 60 centímetros de altura e tem uma inflorescência que comporta 15 a 40 flores.

epipactis tremolsii 1.jpg

epipactis tremolsii 2 aq.jpg

As flores têm o labelo em forma de taça, na qual servem um néctar alcoólico às abelhas e aos outros polinizadores. Os bicharocos, naturalmente, ficam um pouco "tocados".

epipactis tremolsii 2.jpg

O género Epipactis, a par dos géneros Cephalanthera e Limodorum, possui rizomas em vez de tubérculos, o que é uma vantagem para as plantas se poderem multiplicar na ausência de polinizadores.

epipactis tremolsii 3.jpg

A espécie existe em clareiras e orlas de matos e gosta de solos pedregosos.

epipactis tremolsii 4.jpg

A época de floração estende-se de Abril a Junho.

epipactis tremolsii 5.jpg

A heleborinha-comum existe em Portugal, Espanha, França, Sardenha e Norte de África.

Em Portugal, já foram registadas cinco espécies de orquídeas do género Epipactis. Nem sempre é fácil distingui-las. No entanto, uma das espécies está extinta no nosso país (E. palustris) e outra tem flores verdes (E. fageticola). A E. helleborine tem as folhas na parte média do caule, enquanto as da E. tremolsii localizam-se sobretudo na base. Já a E. lusitanica tem as brácteas inferiores 1,5 vezes mais compridas do que as flores, enquanto as da E. tremolsii têm sensivelmente o mesmo comprimento.

epipactis tremolsii 6.jpg

epipactis tremolsii 7.jpg

epipactis tremolsii 8.jpg

 

 

13
Mai20

Orquídea Erva-abelha («Ophrys apifera»)

Arca de Darwin

O Jardim Rio da Costa em Odivelas tem um percurso de cerca de 1800 metros, com vegetação de ambos os lados. Passo lá muitas vezes, mas ontem, pela primeira vez, encontrei uma orquídea selvagem: a erva-abelha (Ophrys apifera).

ophrys apifera 1.jpg

Como o nome indica, é polinizada por abelhas.

ophrys apifera 2.jpg

A floração ocorre entre Março e Junho.

ophrys apifera 3.jpg

Mede entre 20 a 50 centímetros de altura (pode chegar aos 70 cm) e cada planta pode ter 3 a 10 flores. Os lóbulos laterais do labelo são bastante peludos. As sépalas são rosadas com uma linha verde média.

ophrys apifera 4.jpg

ophrys apifera 5.jpg

 

01
Mai19

Orquídea erva-perceveja ("Orchis coriophora")

Arca de Darwin

A erva-perceveja (Orchis coriophora), também conhecida por erva-do-salepo e salepeira, é mais uma espécie de orquídea selvagem que se pode encontrar na Ebio de Fontelas, em Loures.

A espécie tem uma vasta área de distribuição — Europa, Norte de África e Ásia — que comporta várias subespécies, discutindo-se se algumas serão ou não espécies diferentes. A confusão chega ao nome, com alguns autores a colocá-la no género Anacamptis, ou seja, Anacamptis coriophora.

Certo é que pertence à família Orchidaceae. Curiosidade: orchis significa "testículo", e as orquídeas foram assim baptizadas devido ao aspecto dos bolbos subterrâneos.

A erva-perceveja tem um inflorescência com cerca de 40 centímetros de altura que comporta 15 a 25 flores purpuras e com cheiro (uma das subespécies emite odor a baunilha). Gosta de prados e clareiras de matos com alguma humidade.

 

A floração da erva-perceveja ocorre de Março a Junho.

21
Fev19

Orquídeas selvagens na Quinta das Conchas (Lisboa)

Arca de Darwin

Como acontece todos os anos, em Fevereiro começam a florir as primeiras orquídeas. Hoje passei pela Quinta das Conchas, em Lisboa, e encontrei estes exemplares de duas espécies já nossas conhecidas: a orquídea-gigante, que entretanto mudou o nome científico de Barlia robertiana para Himantoglossum robertianum, e a erva-vespa, que continua a chamar-se Ophrys lutea. Encontrei vários exemplares de orquídea-gigante e apenas um da erva-vespa.

Orquídea-gigante

Erva-vespa

01
Mar14

Das flores-dos-passarinhos aos homens-nus: descubra as orquídeas selvagens portuguesas

Arca de Darwin

Estamos em plena época de floração das orquídeas selvagens. De norte a sul do país podem-se observar cerca de 50 espécies destas plantas que imitam a forma, cheiro e cor dos insectos que as polinizam. Segue-se um apanhado das já apresentadas aqui na Arca (com os respectivos links).

Género Aceras

Erva-do-homem-enforcado (Aceras anthropophorum)

Aceras anthropophorum 1.jpg

Género Anacamptis

Orquídea-piramidal (Anacamptis pyramidalis)

Erva-perceveja (Anacamptis coriophora)

erva-perceveja.JPG

 

Género Barlia

Orquídea-gigante (Barlia robertiana)

orquidea-gigante-3.jpg

Género Cephalanthera

Cephalanthera longifolia

Género Epipactis

Heleborinha-comum (Epipactis tremolsii)

epipactis tremolsii 4.jpg

 

Género Limodorum

Limodoro-mal-feito (Limodorum abortivum)

limodorum2-766x1024.jpg

Género Ophrys

Moscardo-fusco (Ophrys fusca)

Ophrys-fusca-3-a-766x1024.jpg

 

Erva-vespa (Ophrys lutea)

ophrys-lutea-1-1024x768.jpg

 

Flor-dos-passarinhos (Ophrys scolopax)

Ophrys-scolopax-0-1024x766

 

Erva-abelha-maior (Ophrys speculum subsp. speculum)

Ophrys-speculum-2-768x1024

 

Erva-vespa-rosada (Ophrys tenthredinifera)

ORQUDE~1

Género Orchis

Homens-nus (Orchis italica)

orchis-italica-1-1024x779