Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arca de Darwin

"Look deep into nature, and then you will understand everything better", Albert Einstein

"Look deep into nature, and then you will understand everything better", Albert Einstein

Arca de Darwin

27
Ago13

“I have a dream” – 50º aniversário

Arca de Darwin
Racismo é estupidez. A nossa cor apenas define a latitude onde viveram os nossos antepassados e a correspondente adaptação à exposição solar."I have a dream that my four little children will one day live in a nation where they will not be judged by the colour of their skin but by the content of their character.I have a dream today!", Martin Luther King, Washington, 28 de Agosto de 1963("Eu tenho um sonho que os meus quatro pequenos filhos viverão um dia numa nação onde não serão julgados pela cor da sua pele, mas pela qualidade do seu carácter. Eu tenho um sonho, hoje!")

Mapa das cores de pele indígenas

Amanhã celebra-se o 50º aniversário daquele que é, sem dúvida, um dos discursos mais famosos e relevantes da História. Proferido por Martin Luther King no Memorial de Lincoln, em Washington, contou com 200.000 activistas que participavam numa marcha do Movimento pelos Direitos Civis.

 A estação de rádio britânica BBC Radio 4 assinala o dia com a transmissão do discurso na íntegra (9:00 e 14:30 – horas locais). A voz de King abrirá e fechará a emissão. Pelo meio, várias personalidades envolvidas na luta pelos direitos humanos lerão passagens do discurso. Entre elas estarão o monge Dali Lama, o Nobel da Paz Muhammad Yunus, a cantora Joan Baez e Malala Yousafzai, rapariga paquistanesa de 16 anos alvejada por talibãs por ir à escola.
23
Dez12

Primatas, racismo e homofobia

Arca de Darwin

Diz o jornal Expresso (22/12/2012): “Adeptos recusam negros e gays. FUTEBOL. Estamos no século XXI e qualquer informação chega num ápice a todo o mundo, mas nem por isso estão extintas as reações primatas: o maior grupo de adeptos do Zenit de São Petersburgo – equipa de Bruno Alves, Witsel e Hulk –, o Landscrona, emitiu um manifesto onde pede ao clube que não contratar atletas negros e homossexuais (...)”.Ora, nós, humanos, somos primatas. Logo, é impossível não nos comportarmos como... primatas. O comunicado é racista e homofóbico, e é louvável criticar essas estúpidas atitudes. Mas não havia necessidade de fazê-lo usando o termo “primata” de forma pejorativa (e com erros gramaticais). Até porque entre as mais de 400 espécies desta ordem, apenas uma é “racista” e/ou “homofóbica”: a Homo sapiens.